SAC - Músicas populares (ruins)


Preciso começar esse post com uma pergunta pertinente e politicamente correta para fazer à vocês: whisky ou água de coco?
Tenho certeza que a maioria das pessoas que leram essa pergunta, leram no ritmo da música, ou lembraram de Naldo dançando no seu maravilhoso clipe. Não julgo essas pessoas, afinal quem não gosta de uma boa música ruim brasileira?!  Poucas são as pessoas no país que realmente escutam Chico Buarque, Caetano e Gil porque realmente gostam, e não pra fazer "o intelectual" da turma. Músicas boas como daquela época talvez não é mais feita visto que não há mais tanto motivo para o senso critico como havia na época da ditadura no país (não digo que não há nenhum motivo, afinal a corrupção ainda exite) então as pessoas decidiram acomodar-se e apenas usar a música como forma de entretenimento. Existe quem, de fato, se recuse a ouvir e conhecer esse tipo de música popular, porém é impossível negar que a conheça. Afinal, musica "ruim" no nosso país se espalha feito praga (o que talvez seja, talvez ahaaha). Hoje em dia criar letras de músicas com nome de carros caros, ou falando de bebidas é sinônimo de sucesso e retorno financeiro. Como o capitalismo é selvagem, músicos não se importam se a musica será de qualidade ou não, elas só têm que grudar na cabeça do ouvinte e nunca mais sair, para que se faturarem fortunas por meio dessa suas músicas sem profundidade poética ou critica, letras apenas voltada ao entretenimento alheio. Há brasileiros que fiquem de mimimi reclamando do tipo de música que o Brasil está exportando para outros países, como "Ai se eu te Pego" que se tornou febre mundial (meu amigo grego quando descobriu que eu era brasileira só sabia cantar isso e eu sentia certo desgosto, mas dane-se). Contudo isso não é motivo de lamentação, é só uma vingança. Afinal, EUA mandou Justin Bieber para nos infernizar e o Brasil mandou Michel Teló e outras beldades como vingança.